segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

Dieta Coletiva: Por que as Francesas são magras?


Oi gente!!! Que saudade!
Como está o ânimo de vocês em relação à primeira semana de reeducação alimentar? Eu confesso que não estou tão animada; estou querendo o sol e a neve juntos... rsrsrsrs; quero comer tudo o que gosto e ainda emagrecer muito! That's impossible, isn't it? Rsrsrsrsrs.
Todavia continuo no meu propósito; só acho que preciso reduzir um pouco mais o aporte calórico agora. Consegui fazer exercícios em dois dias da semana, e hoje reiniciei a Hidroginástica 2 vezes por semana.Eu amoooooooo!
No final do ano passado estive na França pela segunda vez; a primeira foi em minha lua de mel, e eu não prestei muita atenção na cultura francesa...só via meu marido...rsrsrs. Desta vez pude observar mais.
A forma deles comerem estava me irritando no início, pois eu achava que serviam muito pouca comida, e eu, como uma boa mineira, gosto/ava de mesa farta...rsrsrs.
Então para me satisfazer tive que desenvolver um truque: Mastigava pequeninas porções vagarosamente ... e então... EUREKA!!! Lá pelo terceiro dia, já nem consegui comer todo o prato principal... pasmem... estava satisfeita com as mesmas porções que me irritaram nos primeiros dias!!!
Observei que os Franceses, de um modo geral, são magros. Pesquisei e descobri que é um fato... o índice de obesidade é muito baixo; tem aparecido casos nos últimos anos devido à invasão dos fast foods na cultura tão elegante e sábia de comer dos Franceses.
O fato é que a forma original de comer dos franceses protege contra a obesidade; eles comem um prato de cada vez, podendo apreciar mais o sabor, e geralmente cada refeição é composta por pelo menos 3 pratos: A entrada ou antepasto, o prato principal e a sobremesa; em algumas situações servem queijos antes da sobremesa. Eles comem doces, todavia com pouquíssimo açucar; em qualquer lugar que você comprar um, ele tem um toque suave de acúcar, realçando mais o sabor do principal ingrediente.
A refeição para os Franceses é um evento especial, um momento para relaxar, conversar sem pressa; comer é um dos detalhes do momento da refeição! Muito interessante!!!
Eles gostam de ingredientes frescos, de qualidade... apreciam preparar a própria refeição.

Este foi um dos meus jantares em Paris, no hotel onde estava hospedada...
Ah, sempre tem uns pãezinhos com patê ou manteiga antes da entrada; as pessoas se assentam calmamente à mesa e conversam, enquanto saboreiam pedacinhos de pão.
Entrada do meu jantar: Terrine de Salmão... uma fatia de 1 centímetro de espessura...

Prato principal: Filé de peixe, aspargos, um suflê e um molhozinho delicioso. Vocês podem ver que é bem pouco para o que estamos acostumados aqui no Brasil, mas se comermos um pãozinho antes, mastigando tudo em pequenas porções, vagarosamente, no final ficaremos satsifeitos, e com um detalhe muito importante, que é uma grande vantagem: Ingerindo bem menos calorias.
Aqui uma torta deliciosa de sobremesa, com pouquíssimo açúcar. Eu me me encantei com isso! Pouco açúcar nos doces... o sabor é mais suave e a digestão bem melhor.
E aqui " maridon" e eu em frente a um castelo embolorado...rsrsrs ... esqueci o nome...rsrsrsrsrs.
Aqui uma casa de campo. Assim como nós, Brasileiros, amamos ir à praia em férias, feriados, os Franceses gostam de ir para o campo, e a maioria deles tem uma casa na região rural. Eles valorizam muito a vida simples na natureza.
Que delícia!
Aqui uma curiosidade para as artistas de plantão: Luminárias públicas em uma cidade no interior da França...
Não são lindas? Imaginem se fossem aqui no Brasil! Não durariam nada... seriam carregadas... infelizmente, mas um dia esta cultura muda... assim eu espero.
E aqui a queridinha das blogueiras, principalmente da Ruby do blog "Meu Canto, Minha Prosa". Esta foto eu tirei do barco, no rio Sena.
Bem, voltando ao assunto do modo de comer dos Franceses, descobri um livro, que estou devorando, desde quinta passada:" As Francesas não engordam".
Deixo aqui um trecho para voces se deliciarem:

• As francesas normalmente pensam em coisas boas para comer. As. americanas normalmente preocupam-se com coisas ruins para comer.

As francesas comem pequenas porções de mais alimentos. As americanas comem grandes porções de menos alimentos.

As francesas comem mais legumes.

As francesas comem mais frutas.

As francesas adoram pão e nunca considerariam viver sem carboidratos.

As francesas não comem "sem gordura", "sem açúcar" ou qual­quer coisa com sabor artificial com faixa de sabor natural. Comem o verdadeiro com moderação.

As francesas amam chocolate, especialmente o escuro, ligeiramen­te amargo, lustroso, recheado com aroma de nozes.

As francesas comem com os cinco sentidos, deixando menos pare­cer mais.

As francesas equilibram sua comida, bebida e movimentos em uma base de semana por semana.

As francesas desgarram-se, mas sempre voltam, acreditando que existem atalhos, mas nada sem saída.

As francesas não se pesam seguidamente, preferindo confirmar a perda de peso por meio de suas mãos, olhos e roupas: "síndrome do fecho ecler".

As francesas comem três refeições por dia. As francesas não beliscam o tempo todo. As francesas não se permitem sentir fome. As francesas nunca se empanzinam.

As francesas treinam suas papilas gustativas e as dos seus filhos, desde a mais tenra idade.

As francesas honram os rituais da comida e nunca comem de pé ou correndo. Ou em frente à TV. As francesas não assistem muito à TV. As francesas não têm muita TV.

As francesas comem e servem o que está na estação, para ter o má­ximo de sabor e valor, e sabem que disponibilidade não quer dizer qualidade.

As francesas amam descobrir novos sabores e estão sempre expe­rimentando ervas, temperos e sucos cítricos, para fazer com que um prato conhecido pareça novo.

As francesas evitam alimentos em temperaturas extremas, e apre­ciam frutas e legumes explodindo de sabor na temperatura am­biente, em que também preferem a sua água. As francesas não ligam para bebidas fortes.

As francesas apreciam vinho regularmente, mas com a refeição e só um ou talvez dois copos.

As francesas sentem um clique com champanhe como aperitivo ou com a refeição e não precisam de uma ocasião especial para abrir uma garrafa.

As francesas bebem água o dia inteiro.

As francesas escolhem suas próprias indulgências e compensações. Elas entendem que as pequenas coisas contam tanto na soma como na subtração e que, como uma adulta, cada uma é a guardiã do seu próprio equilíbrio.

As francesas gostam de ir ao mercado.

As francesas planejam as refeições com antecedência e pensam em termos de menus (uma lista de pequenos pratos), mesmo em casa. As francesas acham que jantar em casa é tão sensual como jantar fora.

As francesas adoram receber em casa.

As francesas incomodam-se sobremaneira com a apresentação da comida. Sua aparência é importante para elas.

As francesas caminham sempre que podem.

As francesas sobem escadas sempre que possível.

As francesas arrumam-se para levar o lixo para fora (nunca se sabe).

As francesas são individualmente cabeçudas e não seguem movi­mentos de massa.

As francesas adoram moda.

As francesas sabem que podem ir longe com um bom corte de ca­belo, uma garrafa de champanhe e um perfume divino.

As francesas sabem que L'amourfaltmau/rir (o amor faz emagrecer).

As francesas evitam qualquer coisa que demande muito esforço para pouco prazer.

As francesas amam sentar-se em um café e não fazer nada, a não ser aproveitar o momento.

As francesas adoram rir.

As francesas comem por prazer.

As francesas não fazem dieta.

As francesas não engordam.

No fim, a única coisa que realmente separa as francesas das america­nas é a inércia. Porque não existe absolutamente nenhum truque ou hábito que você não possa transformar em seu próprio, com um pouco de bom senso e atenção às suas necessidades individuais, forças e fra­quezas — e prazeres.

Aqui está o seu desafio mais difícil. Escreva tudo o que comer esta semana. Não diga para si mesma: "Vou me lembrar, não preciso escre­ver." A passividade não vai colocá-la no seu rumo. Se puder dar o pri­meiro passo de regularmente fazer anotações e conhecer o que você está colocando dentro do seu corpo, você já vai se encontrar a caminho.

Muita coragem, boa sorte e bom apetite.


Meninas, para E E para quem chegou até aqui, deixo o link para download gratuito do livro:


http://www.4shared.com/document/BYv-XILN/MIREILLE_GUILIANO_-_As_Mulhere.htm

Beijos no coração.Que Deus nos dê força e coragem!



"Tudo é possível ao que crê"!!!

18 comentários:

Vicentina disse...

Pelo que pude ler as francesas são mesmo inteligentes, gostei.
Que incrivel pequenas porções de comida, e satisfaz? Acho que apendi errado porque desde criança minha mãe sempre dizia "come bastante menina pra crescer e ficar forte" e com isto viciamos em muita comida.
De hoje em diante vou ver se controlo mais, não estou gorda, meu peso é ideal pro meu tamanho, mas a BARRIGUINHHHHAAAAA esta sim tá grandeeee, rsrs
Bjs e Boa Semana

FERNANDA disse...

Olá Maria Lúcia!

Muito interessante esta reflexão sobre alimentar-se x cultura. Como mineira que também sou, também gosto de comer muito e o resultado é um diagnóstico de obesidade que preciso urgentemente tratar e como é dificil fazer dieta! A teoria eu sei bem, mas a prática é difícil. Abraços.

Teresinha Ferreira disse...

Olá!!!
Que saudades da minha viagem pelo interior da França!!!
A alimentação é servida em pequenas porções...Eles comem de tudo na medida certa. Sem contar com o vinho.
Adorei a post.
Bjs mil

jaqueline disse...

Oii Florr , adorei seu post! Menina tenho que mudar muito para ser como as francesas e conseguir manter a forma rsrs! Na verdade tudo vem de criança, é cultural , se desde pequenos aprendermos como alimentar e como fazer as refeições fica mais fácil do que de repente a gente perceber que nos alimentamos super mal (rsrs) e deparar com uma avalanche de informações para por em prática. Mas enfim , vamos temos que começar um dia a mudança ^^* Obrigada por compartilhar o ebook linda! Beijinhos.com e fica com Deus
http://amordobrado.blogspot.com

Anita disse...

Foi mole ler até o final, porque o post estava super agradável, adorei tudo, sua viagem, e a matéria sobre as magrelitas das francesas, agora vou te falar que sou quase uma francesa, kkkk... só estou perdendo porque não subo escadas e não ando muito... as escolhas de alimentação delas bate totalmente com as minhas, mas tem um detalhe, mesmo não comendo muito e comendo só o que é bom, depois da meno não tem jeito se não queimar, só acumula. Como exatamente igual ao que comia há 2 anos, mas não consigo manter o mesmo peso de 2 anos atrás, o que mudou??? Apenas a chegada da meno aos 48,e aí é que mora o problema, nunca tive saco de fazer nenhuma atividade física e continuo não tendo. Vou ter que mudar isso na marra, bjsss.

Casa de Lola disse...

Oi Maria Luiza,
adorei as dicas, quanta coisa legal vc nos mostrou, e quanta coisa linda tem na França, que luminária é essa? Linda demais! Amiga vou tentar seguir algumas coisas, pq depois dos "enta" é muito difícil emagrecer, e a gente acaba pendendo o pique.
Beijos
Lola BH

Beth disse...

Puxa,temos muito que aprender!!!
Qualidade e não quantidade,isso é bom!!
Continue firme e forte minha querida e que o Senhor te dê uma semana vitoriosa!!
Bjs.

Jacqueline Rosa disse...

Adorei o Post!

Bjos

Edna disse...

Uau quanta informação flor!
Adorei saer das francesas...eu tenho um pouco dos hábitos delas...mas ainda preciso melhorar maie e mais. Hj não sou gordinha, mas sei que não podemos deixar de nos policiar confiando só na genética.
Obrigada pelas dicas e sucesso na sua dieta.
Bjks!

Mery Vale disse...

Oi Maria Lúcia,
que delícia de viagem...!!!
Tudo são hábitos mesmo,queria poder passar uns meses neste lugar icncrível,que ainda sonho em conhecer!!Mais eu acho que a dieta se resume mesmo em comer pouco mais várias vezes...!!!Adorei o post!
Beijos,
Mery

Maria Célia disse...

Oi Maria Lúcia
Excelente post sobre a alimentação das francesas.
Preciso aprender tanto com elas.
Entretanto, isto é cultural. No nosso país é tudo ao contrário, principalmente nós, mineiras, que adoramos uma mesona lotada de guloseimas. Aí que delícia.
Sua viagem foi o máximo, hein?
Fotos lindas, um sonho.
Bjo

Isis disse...

Nossa Maria Lúcia...
Outro dia fiz uma brincadeira no face para descobrir qual a cidade que mais se parecia comigo, deu Paris...rsrsr. De fato, depois de ler tudo isso acho que amaria morar na França...rsrsr
Eu carrego água comigo onde quer que vá e não só quando vou fazer exercícios.Bebo água o dia todo! Eu prefiro subir escadas invés de pegar elevador. Não é por medo não, é que é eu acho que é um desperdício de oportunidade de exercitar as pernas Detesto doces excessivamente doces que mascaram o sabor de outros ingredientes e me recuso a comer qualquer coisa que tenha por exemplo cheiro de morango, sabor de morango, gosto de morango, mas não tem o "morango"
Meus pratos são sempre de "passarinho". Amo chocolate amargo.Adoro caminhar e fazer compras no mercado todos os dias é uma das minhas oportudidades de caminhadas diárias.
Não sei Maria Lúcia, mas eu tenho cá com meus botões que cortando todo tipo de alimento em caixinha ou industrializado, já é meio caminho andado pra emagrecer.
A bientôt mon ami...rsrsr

Daniele disse...

Menina, eu quero nascer de novo e cair na França!
Porque nascendo aqui no Brasil, fica difícil não gostar de pizza, de churrasco, de torresminho...oh, coisa boa é comer!
Não sei porque jiló não faz mal!
Jiló tinha que aumentar o colesterol e engordar muito pra eu justificar não comê-lo.
Eu amo comer, como com prazer e não como prato cheio. Mas procuro compensar, não faço frituras ou alimentos gordurosos durante a semana, como frutas, frutas secas, cereais, não bebo refrigerante...só que nos finais de semanas, preciso ser feliz.
Penso que o equilíbrio é palavra chave para tudo.
Fazer atividade física aqui em casa é como ir ao trabalho. É uma obrigação que nós amamos.

Permita-me fazer só uma crítica as francesas!

Elas fumam muito!!!!
Será que não é uma válvula de escape??
Ou um inibidor do apetite?

Vamos firmes em busca de uma alimentação!
Isso é o que importa.

Bjs, bjs, bjs

Cintia Branco disse...

Naria Lúcia,

Que delícia de post, vou baixar o livro e ler. Exercícios fazem toda a diferença na dieta, mas decidi aproveitar a minha última semana de férias em casa, de pernas para cima, lendo ou costurando, nada de serviço pesado, rs.
Já experimentei o picolé da Molico, uma delícia, mas aqui é tão difícil de encontrá-lo, snif, o que eu sempre compro é o sorvete, que também é delicioso.
Estou mantendo o quilo que perdi, espero que nas próximas semanas consiga eliminar mais algum.
Grandes beijos e força na dieta!

esperanca disse...

Amiga, DEUS seje louvado em nossas vidas!Seguindo seu achados quanto ao equilibrio da alimentação, sujiro-lhe ver na TV novo tempo em "Consultorio de Familia"um endocrinologista fantastico de Brasilia dando consultas ao vivo.Sua irmã em CRISTO. Arlete Leão

isis disse...

Maria Lúcia...
Sei que não tem nada a ver com o post, mas a minha amiga me falou de um livro que ela comprou e eu achei a "sua cara"...rsrsr
O autor tem um blog e vou passar o enderço já no post que fala do livro que fez lembrar de vc.
Eu fiquei louca pra comprá-lo... mas tenho cá do meu lado uma "Torre de Pisa" de livros prestes a desmoronar na minha cabeça o que me lembrou um dos sete pecados capitais: o da gula.Não sei se é fome por informação ou por comprar livros. Enquanto não decifro isso, vou tentar diminuí-la antes de adquirir outros novos...rsrsr
O link é este:
http://amatematicanaarteenavida.blogspot.com/2010/08/matematica-na-arte-e-na-vida_25.html
Tem um pequeno video no blog que explica do que se trata. Eu fiquei babando pelo livro e acho que vc também vai ficar instigada.
Espero que goste...
Beijos....

Doce Ateliê disse...

Amiga essas francesas são porretas hein !!!
Mulheres sábias essas.
Lindas as fotos,que luminárias maravilhosas e a paisagem campestre é um sonho.
Obrigada por tudo.
beijo de suas amigas do Acre

Paula Oliveira disse...

Uaaau, adorei! Na correria acabei deixando este post passar batido, mas agora sentei pra ler timtim por timtim.
Ah! Amei a foto que vc tirou da Torre Eiffel, foi de um ponto de vista que não se vê normalmente nas fotos que sempre vemos, isso que é o legal de visitar pontos turísticos, é retratá-los conforme nossa própria visão. Adorei aqueles raminhos da beira do rio na frente da Torre, linda fotografia!

Voltando às francesas, isso de saborear a comida com os cinco sentidos é bem relevante, mas raramente paramos pra pensar nisso.... tão apressados que vivemos e fazemos tudo, que acabamos nem saboreando a comida!

Anotar tudo o que se come, taí uma coisa que tento fazer, mas nunca prossigo, vou recomeçar a fazer isso. Só tenho medo do susto, na hora que eu for rever as coisas que comi na semana...rs brincadeira, estou aprendendo mesmo a me controlar mais. E agradeço a vc por estes posts tão cheios de informações preciosas e principalmente cheios de incentivo!

Um beijão!